Minas Gerais

Pousada aconchegante em Minas Gerais

Roteiro de 8 dias pelas cidades históricas de Minas Gerais e Carrancas: 3 dias em Ouro Preto, 3 dias em Tiradentes e 2 dias em Carrancas.


Esse é um “roteirinho” muito querido por mim! Sou mineira e uma viagem por minha terra sempre tem um gostinho especial. É um roteiro de uma semana, de carro, começando em um sábado e terminando no domingo da semana seguinte. Dá para aproveitar bastante!

Bom, fiz essa viagem em Agosto/2018 com o meu namorado na época (e atual marido) e fomos de carro de BH até Ouro Preto para começar a viagem. Se você não mora em Minas, pode pegar um voo até Confins e de lá alugar um carro, por exemplo. Essa é uma viagem que funciona melhor se for de carro pois, não tem muita disponibilidade de transporte público entre todas as cidades que passamos. Mas usamos o carro apenas para os deslocamentos entre as cidades, já que gostamos de explorar os lugares com caminhadas à pé mesmo.

Vamos lá…

Dia 01 – Sábado

O percurso começa com o deslocamento entre Belo Horizonte e Ouro Preto (mais ou menos duas horas), que é o primeiro destino desse roteiro.

O legal de Ouro Preto é se perder pelas ruelas da cidade, entrar nas igrejas, comer em um bom restaurante… (#saudades!)

O primeiro dia de passeio foi dedicado às Belas Igrejas da cidade, Praça Tiradentes e Museu da Inconfidência. Em muitas igrejas agora é permitido tirar fotos! Coisa que até 2017 era proibido! Então aproveite para fazer bons cliques! E fique atento aos horários de funcionamento dos lugares. No geral, as Igrejas estão abertas para visitação entre 9:00 até às 17:00 e o Museu vai até às 18:00 (lembrando também que a maioria das atrações não abrem às segundas-feiras).

Abaixo, segue a listinha das 3 igrejas que visitamos nesse dia:

IGREJA NOSSA SENHORA DO PILAR (foto 1): Para mim, a igreja mais linda de todas! O altar é impressionante e foram usados mais de 400 kg de ouro na sua ornamentação!

IGREJA NOSSA SENHORA DO CARMO (foto 2): Essa infelizmente estava passando por reformas e não conseguimos visitar por dentro. Mas, não custa tentar e a paisagem também é linda!

IGREJA DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS (foto 3): Essa igreja fica bem próxima da Praça Tiradentes e sempre tem uma feirinha de artesanato por perto que vale dar uma conferida. Por dentro, o teto dessa igreja é bem impressionante e dizem que foi utilizada a mesma técnica da Capela Sistina para a pintura. Vale muito a pena a visita!

PRAÇA TIRADENTES E MUSEU DA INCONFIDÊNCIA

Essa praça está no coração da cidade e é inevitável que você acabe passando várias vezes por lá. Não deixe de fazer isso também à noite, para curtir a praça toda iluminada. Segue fotos das duas versões: dia e noite:

Para o Museu, separe entre uma ou duas horas para ver toda a coleção. Ele ocupa a antiga Casa da Câmara Municipal de Vila Rica (antigo nome de Ouro Preto) que abrigava também a cadeia da cidade. O museu conta com várias peças relacionadas à Inconfidência Mineira e a “era do Ouro e Diamantes” do século XVIII, incluindo também obras do Aleijadinho. Vale a pena visitar.

Dia 02 – Domingo

Nesse dia fizemos um passeio de bate e volta para Mariana, cidade vizinha de Ouro Preto. Existe um trem turístico entre as duas cidades, o “Trem da Vale” e achei o passeio muito legal. No trajeto, procure sentar do lado direito do trem entre Ouro Preto a Mariana (a paisagem é mais bonita). É um passeio muito procurado, portanto, compre ingresso antecipado pela internet (esse site) e procure escolher o ingresso no carro panorâmico (tem uma vista melhor). Normalmente, é possível fazer o passeio de quinta a domingo, mas é bom conferir no site.

Em Mariana, visite a Catedral da Sé. Além de linda, aos domingos – às 12:15 – funciona o órgão da Catedral… lindo de se ouvir!

Visite também a praça Minas Gerais, o “cartão postal mais conhecido de Mariana. São apenas 20 minutos de caminhada a partir da estação de trem.

Praça Minas Gerais em Mariana

Dia 03 – Segunda-feira

Segunda-feira. A maioria dos pontos turísticos em Ouro Preto não abre, às segundas-feiras e então dedicamos esse dia para visitar as antigas Minas de Ouro da região (que normalmente funcionam todos os dias!). A maior e mais interessante fica na verdade em Mariana, e chama “Mina da passagem” e fomos de carro até lá (porque é meio fora de mão de visitar no dia do bate e volta de trem). Achei o valor do ingresso um pouco caro (70 reais por pessoa – set/2018) mas valeu a pena! O passeio dura 45 minutos e você desce numa espécie de “trenzinho” usado na época da mineração. Além disso, tem uma guia da Mina que te acompanha o tempo todo dando as explicações sobre o lugar. Acho que vale o investimento hehe

Voltando dessa visita, ficamos curiosos para conhecer as outras Minas de Ouro antigas de Ouro Preto. Mas acabamos indo apenas na Mina do Chico Rei (que é única mina que pertenceu a um negro ex-escravo), porque nos “perdemos” no Museu do Aleijadinho… rsrs Na verdade, o Museu é a casa que pertenceu ao pai do Aleijadinho. Toda a sua estrutura, inclusive portas e janelas são originais. A atual proprietária mantém ali uma espécie de museu, com várias peças encontradas na casa e outras de coleção própria. A casa é aberta a visitação (gratuita) e funciona como uma lojinha de artesanato no primeiro andar. O curioso é que a proprietária atual mora na casa, todos os dias deixa tudo bem arrumadinho e abre a casa para visitação. A decoração é uma graça! O lugar fica próximo à Mina do Chico Rei e da Igreja de Nossa Senhora da Conceição.

Museu do Aleijadinho. Esse doguinho na janela está sempre por lá também. Um fofo!

Onde comer em Ouro Preto?

O Passo Pizza Jazz: lugar super charmoso, atendimento impecável e uma pizza maravilhosa! Fica na Rua São José, 56.

Casa do Ouvidor: ótima opção para almoço, fica bem na Rua Direita – número 42. Fica bem ao lado do Hotel que eu indiquei. Recomendo o frango ao molho pardo. Imperdível!

Escadabaixo – Pub e Café Geraes: O Café Gerais é também um restaurante muito bom, perfeito para almoçar e no andar debaixo funciona um Pub bem descolado. O prato de salsichas alemãs com salada de batatas é muito bem preparado e testado e aprovado pelo Jens (meu marido alemão!)

Onde se hospedar em Ouro Preto?

Recomendo ficar na região central, próximo da Praça Tiradentes, que aí dá pra fazer todos os passeios à pé. Acho bem prático.

Ficamos hospedados no “Hotel Pousada Clássica” que tem uma localização incrível e um café da manhã e da tarde muito bom também. Os quartos são simples e pequenos, mas suficiente para 3 dias. Fica bem perto de várias atrações, bem no centro de Ouro Preto e o custo-benefício é muito bom. Tem também um estacionamento, na rua de trás do Hotel, fácil de chegar depois que você já sabe onde é… hehe Tem um acesso ao hotel pelo estacionamento também e eles levam suas bagagens até o quarto. Bem simpáticos!

Dia 04 – Terça -feira

Dia de viajar. Nesse dia demos uma “prolongada” na viagem e dirigimos até Belo Vale, duas horas de estrada. Fomos até lá apenas para conhecer o Museu do Escravo, que é considerado como o museu mais completo do gênero na América Latina, além de ser o único do Brasil construído inteiramente para se dedicar à escravidão. O museu reproduz uma fazenda de escravos, com a casa grande, senzala e até o “pelourinho”- local onde os escravos eram açoitados. Essas visitas são de doer o coração, mas acho muito importante conhecer a história para aprendermos com os nossos erros e para que possamos tentar entender e compreender o sofrimento de toda uma época.

Museu do Escravo em Belo Vale

Depois da visita, fomos direto para Carrancas, chegando no finalzinho da tarde por lá (4 horas de viagem).

Em Carrancas descobrimos um restaurante que, literalmente, não está no mapa. Acontece que o dono, não gosta muito de mídias e gosta de cozinhar pessoalmente para seus clientes! Para conseguir atender a todo mundo, ele acaba não fazendo muita divulgação. O lugar é super aconchegante e a comida, uma delícia! Não deixem de ir!

Restaurante super aconchegante em Carrancas.

Dia 05 – Quarta-feira

Dia de curtir a natureza em Carrancas!

Fizemos um tour guiado com a empresa Ecoadventue Minas Gerais. Empresa muito bacana, responsáveis, atenciosos e super recomendo.

Contratamos um guia para ficar o dia por nossa conta. Valeu muito a pena o investimento, porque aí fizemos o passeio no nosso tempo. A maioria das cachoeiras que fomos é de fácil acesso de carro mas, as estradas não são muito boas para carro “baixo” – tipo o meu na época – e fora que são tantos lugares, que só alguém que conhece mesmo para te levar. Mais um motivo para se contratar um guia! E foi muito bom ter ido em um dia de semana e fora de temporada… isso fez toda a diferença! As cachoeiras eram praticamente só nossas, sem nenhum turista! Então recomendo a fazer o mesmo! (obs: fomos no final de Agosto de 2018).

Onde comer em Carrancas?

Restaurante Virada do Largo (fica bem atrás da Igreja, na praça principal da cidade). Esse é o restaurante que eu falei que fomos no primeiro dia.

Onde se hospedar em Carrancas?

Recomendo muito a Pousada Céu e Serra. Essa pousada é um amorzinho!! É bem simples, mas arrumadinho e muito tranquilo o lugar. São vários chalés espalhados pela área da pousada. Eles também oferecem serviços de massagem relaxante, mas quando fomos não estava funcionando, então não sei dizer se o serviço é bom. Pra chegar até a pousada, tem que andar 1 km na estrada de chão pra chegar (só pra avisar… hehe)

Dia 06 – Quinta-feira

Despedida de Carrancas e viagem até Tiradentes.

Passeamos um pouco pelo centrinho de Carrancas, onde fica a Igreja e ao redor tem algumas lojinhas de artesanato.

Igreja Matriz de Carrancas

Logo em seguida, seguimos viagem para Tiradentes (uma hora e meia de viagem).

Como em Ouro Preto, o interessante em Tiradentes é sair andando “sem rumo” pelas ruas históricas e charmosas da cidade, além de visitar as Igrejas. Foi o que fizemos no dia da nossa chegada, visitamos as igrejas de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos e a Matriz de Santo Antônio (ambas estão abertas entre 10 e 17 horas) e passeamos pela cidade.

Dia 07 – Sexta-feira

Passeio de Maria Fumaça até São João Del Rey.

Como estávamos de carro, e queríamos fazer o passeio de ida e volta de Maria Fumaça (gostamos muito de trens! hehe), por uma questão de logística e horários do passeio, fomos de carro até São João (30 min) e de lá pegamos a Maria Fumaça em direção a Tiradentes.

Logo em seguida, já voltamos para São João com a Maria Fumaça e passamos o dia lá. Compramos o ingresso em São João, mas tem que chegar cedo, pois tem muita fila para comprar e não encontrei em nenhum lugar para comprar o ticket antes.

É possível também fazer um trecho só, de Tiradentes até São João, por exemplo, e de São João pegar um táxi para voltar para Tiradentes (em média 100 reais). Mas o passeio de Maria Fumaça é bem legal, recomendo fazer os dois trechos.

Em São João, visitamos o Museu Ferroviário (que fica dentro da estação de trem) e depois saímos em busca das igrejas históricas… hehe Fizemos tudo a pé, passeando pela cidade. Visitamos também as Igrejas de Nossa Senhora do Rosário e de Nossa Senhora do Carmo.

Não ficamos hospedados em São João e fizemos só como um bate e volta a partir de Tiradentes. Na minha opinião, foi uma decisão certa pois, São João não é uma cidade tão charmosa quanto Tiradentes. É legal? É. Vale a pena? Sim. Mas, na nossa opinião, uma tarde por lá já é suficiente.

Dia 08 – Museu do Automóvel e Casa Torta

Pegamos estrada novamente com direção ao Museu do Automóvel (aberto de quarta a Domingo das 9h às 18h). São muitos carros antigos em exposição (mais do que eu imaginava!) e eles tocam músicas dos anos 60 e 70 pelos salões. Achei bem legal. Para mais informações, o site do Museu é esse aqui.

Pela mesma estrada, é só seguir viagem para a Casa Torta, em Bichinho. É possível entrar dentro da casa, mas é mais para crianças… pelo o que eu vi, elas se divertem muito lá dentro. Para os adultos e sem filhos, o bacana é só ver a Casa por fora mesmo e tentar bater a tradicional foto na porta (o que não conseguimos por que estava muito cheio!)

De volta em Tiradentes, passeamos mais um pouco pela cidade e à noite estava acontecendo um festival gastronômico. As ruas ficaram cheias e tem vários pontos com “barracas” vendendo comidas bem elaboradas e cervejas artesanais. Tem música e lugares para sentar (se tiver sorte!). Eu gostei bastante. Pesquise no Google “Festival Gastronômico Tiradentes” e veja quando é o próximo.

Onde se hospedar em Tiradentes?

Recomendo o hotel que ficamos, a Pousada e Flat Maria Monteiro. Esse Hotel é novinho, quartos grandes e um café da manhã dos deuses (tinha até canjica, milho verde e tapioca!!!). Mas é um pouco afastado do centro, então o ideal é estar de carro. Escolhemos esse porque a hospedagem em Tiradentes normalmente é mais cara que a média e esse tem uma relação custo-benefício muito boa.

Por do sol da “sacadinha” do nosso hotel em Tiradentes

Onde comer em Tiradentes?

Definitivamente, o Restaurante Tragaluz, um dos lugares mais famosos de Tiradentes, merece toda a fama que tem. A comida é excelente, dessas que você percebe que foi muito bem pensada e preparada; o ambiente é bem agradável e o atendimento é ótimo também. Recomendo muito ter essa experiência gastronômica em Tiradentes. Vale o investimento.

Dia 09 – Domingo

Dia de voltar para Casa… 🙁 Bom, espero que tenha gostado e se tiver qualquer dúvida, fiquem a vontade para perguntar! Ficarei feliz se eu puder ajudar!

Um grande abraço,

Gi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.