Norte da Alemanha

Natal em Hamburgo Alemanha

Roteiro de 5 dias pelo Norte da Alemanha: 2 dias em Hamburgo, 1 dia em Schwerin e 2 dias em Lübeck.


Fiz esse roteiro em Dezembro de 2018 com todo o frio e a coragem! hehe Gostei bastante das cidades que nós escolhemos para explorar o Norte da Alemanha e fizemos todos os trajetos de trem. Para começar o roteiro de 5 dias pelo norte da Alemanha, você primeiro precisa ir até Hamburgo, que é a primeira cidade dessa trip! Então, como esse roteiro são de 5 dias completos, se você não está perto de Hamburgo, considere um dia a mais para o deslocamento até lá.

Pra chegar até Hamburgo, você pode ir de avião (o aeroporto tem vários voos comerciais regulares que saem das principais cidades da Europa) de ônibus ou de trem a partir de alguma outra cidade da Alemanha. Nós saímos de Colônia, foram 5 horas de viagem e fomos de trem pela empresa FLIXTRAIN. É uma empresa de trens relativamente nova aqui na Alemanha, ligada à empresa de ônibus já bem conhecida por aqui, a FLIXBUS. Já usei algumas vezes e a diferença é que para oferecer um preço abaixo que o mercado, eles usam alguns trens de modelo mais antigo, nem tão confortáveis. Eu achei super ok e, pelo preço cobrado, vale super a pena. Olhando com antecedência, você consegue inclusive vários trajetos por esta empresa por apenas 9,90 euros. Dá uma olhadinha no mapa da empresa onde eles mostram quais os trajetos estão disponíveis (link aqui).

Chegando em Hamburgo, vou contar agora o dia a dia da nossa viagem!

Dia 01

Ainda era época de Natal e já me apaixonei pela decoração já na estação central de trens de Hamburgo! A “foto de capa” desse post é de lá, da estação central de trens. Bom, vamos ao roteiro! Já comecei a contar o dia 01 como o dia seguinte, mas na verdade, teve um “dia zero” também… rsrs mas que serviu apenas como deslocamento entre Colônia e Hamburgo. Então, no total, foram 3 noites em Hamburgo, o que deu dois dias inteiros por lá.

Voltando então para o dia 01, começamos o dia visitando o Prédio da Prefeitura da cidade, a Rathaus em alemão. Ele fica bem no centro da Altstadt (cidade velha) e, para chegar, pegue a linha de metrô U3 até a estação de mesmo nome, Rathaus. O prédio tem uma arquitetura linda e começou a tomar essa forma depois de um grande incêndio em 1842. No local existia um convento (desde 1230) e o “esqueleto” dele foi um dos poucos que sobreviveu ao fogo.

Prédio da prefeitura – versão dia e noite.

Dá para entrar no prédio e passear um pouquinho dentro mas, como o prédio ainda funciona como a Câmara Municipal da Cidade não é possível visitar todas as salas (deixa o povo trabalhar gente! rsrs). Ao “atravessar” o prédio principal, existe um pátio com uma fonte bem bonita também, vale a pena uma visitinha rápida.

Igreja de St. Nikolai

Logo depois, siga para a antiga igreja de St. Nikolai (8 minutos de caminhada). O local dessa igreja na verdade se trata de um memorial: da construção original só restou essa Torre (foto abaixo). A parte da cripta (o “corpo” da Igreja) foi completamente destruída nos bombardeios da 2a guerra. Ficou de pé apenas o esqueleto dessa torre. Pra mim, ficou parecendo até uma igreja fantasma…

Ela foi destruída após a chamada “Operação Gomorra”: um bombardeiro em 1943 que matou mais de 40 mil pessoas de uma só vez em Hamburgo. O bombardeio foi tão intenso que a cidade ficou em chamas durante horas! Mesmo as pessoas que se refugiaram nos “bunkers” (esconderijos debaixo da terra) acabaram morrendo sufocadas, devido à falta de oxigênio (que queimou com o fogo). Uma parte muito triste da história que hoje é lembrada com esse memorial.

Em seguida, vá para o Bairro Speicherstadt, uma das regiões mais charmosas de Hamburgo. Caminhe sem pressa pelas ruas cheias de pontes, canais e prédios em tijolos vermelhos, que eram os antigos armazéns do porto de Hamburgo. Não tem local mais a cara de Hamburgo do que essa região.

Caminhe por essa região até chegar no lindo prédio da filarmônica de Hamburgo, o Elbphilharmonie. Inaugurado em 2017, ele foi construído sobre um antigo armazém, onde foi feita uma nova estrutura em vidro que, na parte de cima, parecem ondas. Tem uma arquitetura maravilhosa e “dizem” que tem a acústica mais perfeita do mundo. É possível visitar o prédio por dentro, mesmo sem assistir a um concerto, mas quando fomos a fila estava tão imensa que acabamos contemplando o prédio só por fora mesmo… rsrs (o que já vale a pena!) E não vi como comprar os ingressos pela internet… então… fiquei devendo essa.

Elbphilharmonie

Dia 02

Dia de passear pelo porto. Pegamos um S-Bahn (símbolo S em verde) até a estação Landungsbrücken. Caminhe em direção ao porto e você vai encontrar várias lojinhas e restaurantes charmosos por ali.  De lá saem também alguns passeios de barco que são oferecidos por algumas dessas lojinhas na orla. Escolha uma empresa e faça o passeio, é muito legal. Mesmo que o tour seja oferecido na maioria das vezes só em alemão, vale a pena fazer esse passeio. Eles te levam para bem perto dos grandes navios cargueiros e é incrível ver o tamanho deles e como é bruta a logística de um porto. Mesmo com o dia bem nublado, achei que o passeio foi bem legal. Rsrs Não percam!

Nessa última foto, está um navio que tem capacidade de carregar óleo suficiente para dar uma volta ao mundo completa! E todo esse óleo custa 5 milhões de Euros! Já pensou o tamanho desse “bichinho” ao vivo? Eu fiquei impressionada!

Elbtunnel

Depois do passeio de barco, retorne para o mesmo lugar e vá até a entrada do Alter Elbtunnel, que fica próximo do Hard Rock Café (procure no google por Eingang Alter-Elbtunnel). É um antigo túnel que está a 24 metros abaixo do Rio Elba e tem 426 metros de comprimento e é possível caminhar por ele. Sinistro e grátis, se tiver coragem! Hehe

O túnel foi inaugurado em 1911 para facilitar a travessia de pessoas e veículos pelo Rio Elba no porto de Hamburgo. O acesso é feito por elevadores, tanto para carros quanto para pedestres e, como hoje já existem muitas outras travessias de mais fácil acesso, o túnel não é mais utilizado por carros (mesmo ainda sendo possível). Acabou virando mesmo foi um ponto turístico bem diferente.

Uma curiosidade é que durante a Segunda Guerra, o túnel serviu de abrigo à população durante os ataques aéreos e salvou muita gente!

A próxima parada é um dos lugares que mais gostei em Hamburgo:

Miniatur Wunderland

O museu é tão perfeito que tudo parece muito real! São dois andares de maquetes separadas por continente e temas, com várias coisas em movimento: carros, caminhões, trens, barcos e até aviões! Sério! Tem um mini aeroporto funcionando lá também! Com aterrissagens, decolagens e tudo mais! Eles simulam até o dia e a noite, alterando a iluminação dentro do museu. É realmente uma atração muito imperdível em Hamburgo.

Que Itália que nada! Essas duas fotos são no Museu de Miniaturas!

Eu não tenho filhos, mas vi que os baixinhos ficaram enlouquecidos lá dentro! Estavam super curtindo!

Aconselho a comprar o ingresso antecipado (pelo menos umas 2 semanas antes) porque o museu é sempre muito lotado e assim vc evita filas para entrar. O site é esse aqui: Miniatur Wunderland. Outra dica é ir mais pro final do dia, com menos turistas. Mas separe no mínimo 3 horas pra curtir com calma.

Quer ler uma “estória” curiosa sobre Hamburgo? Olhe esse post na Coluna Estórias da Gi.

No final do dia, ainda, visitamos um bairro chamado de Reeperbah de “distrito vermelho de Hamburgo”. Mas não achei tão interessante e por isso não dei atenção especial para esse lugar. Mas, se estiver com mais tempo em Hamburgo, vá conhecer esse bairro conhecido por sua quantidade imensa de casas noturnas, bares, clubes de striptease, sex shops, casas de prostituição e empresas similares… Essa era a região onde antigos marinheiros de Hamburgo iam se divertir… rsrs

Onde comer em Hamburgo?

Vou deixar aqui o nome de dois lugares que gostamos muito. Fomos em outros também nesses dois dias por lá, mas esses são os que mais que gostamos:

Hamburger Fischerstube: Apesar do nome sugerir Hamburguer, o local oferece uma grande variedade de peixes. Ambiente agradável, comida deliciosa e atendimento muito bom. Não precisa de reserva. Fica na Colonnaden, 49 e funciona normalmente entre 11 da manhã e meia noite.

Deichgraf Restaurant: Esse restaurante fica em uma ruazinha super charmosa e cheia de outras opções para comer. O preço é um pouco salgado, mas vale super a pena. O atendimento é impecável e funciona normalmente de terça a sábado entre 17 e 22 horas. Abre também para almoço, entre 12 e 15 horas. Fica na Deichstraße 23.

Peixe delicioso no Fischerstube e rua super charmosa do Deichgraf Restaurant.

Onde se hospedar em Hamburgo?

Eu sempre procuro um local próximo a estação de trem, para facilitar a chegada… (veja mais sobre onde se hospedar, nesse post aqui). No caso de Hamburgo, não foi diferente, mas confesso que a região não me agradou muito, por ser intensamente movimentada. Mas, para apenas 3 noites de hospedagens, acho que está ok.  Nós ficamos hospedados no Novum Hotel Continental Hamburg Hauptbahnhof. Fica bem próximo à estação central e perto de alguns restaurantes. Dá pra ir a pé também ao centro histórico (Rathaus). Os quartos são bem pequenos, mas ok para alguns dias e acho que o custo benefício valeu a pena. O café da manhã também é bom, vale a pena pagar.

Dia 03

Pé na estrada, ou melhor, no trem e partiu Schwerin! Tivemos a sorte de visitar essa linda cidade em época de Natal e o mercado de Natal ainda estava “funcionando” mesmo já sendo 29 de dezembro (depois descobri que eles vão até dia 30 de Dezembro na cidade! Ufa! Foi por pouco! rsrs) Mas acho que essa roda gigante poderia ficar pra sempre por ali, né? Deu todo um charme pro lugar!

Schwerin não é muito conhecida pelo “circuito turístico” e acho isso uma pena! A cidade além de encantadora, é conhecida como a cidade dos lagos e por um Castelo lindo, o Castelo de Schwerin. O Castelo não é tãaaaao antigo, foi construído entre 1845 e 1857. Mas não é todo dia que a gente vê um Castelo no meio de um lago, né verdade?! Eu achei a vista maravilhosa!

Castelo de Schwerin – por fora e por dentro.

E se alguém estiver na dúvida de como pronunciar “Schwerin”, é só pronunciar “chuveirinho” igual os Mineiros : Chuverim. A pronúncia é exatamente essa! hehe

Como chegar em Schwerin?

De trem, a viagem dura apenas uma hora a partir da estação central de Hamburgo e a partir de Berlim, são duas horas. A estação central de Schwerin é bem localizada e de lá, são várias opções de Hotel e dá pra fazer o passeio pela cidade todo a pé. E eu sempre falo que o melhor site ou aplicativo para pesquisar os horários e opções de trem pela Alemanha, é direto do site da Deutsche Bahn. O Google Maps ainda não tem todas as informações de transporte por trens e às vezes você pode achar sua viagem inviável só porque não conseguiu ver as melhores opções no Maps. Fica a dica!

Onde se hospedar em Schwerin?

Vale a pena ficar uma noite hospedado em Schwerin? Eu fiquei e digo que valeu a pena! A cidade é bem fofa e dá pra passar horas passeando pelas suas ruazinhas charmosas. Recomendo ficar na região da Estação Central, assim dá pra fazer tudo a pé mesmo. Nós ficamos hospedados no hotel Hotel am Hauptbahnhof. Ele fica bem em frente à estação central de trens, não tem erro, é só atravessar uma praça. Mas o prédio do Hotel é tão colorido que você vai ver de longe! rsrs Apesar de ficar bem de frente à estação, o Hotel é bem silencioso. O pessoal da recepção é nota 10!! Muito simpáticos! Os quartos tem um tamanho muito bom, só o banheiro que é um pouco pequeno, mas ok. Tem também um restaurante no Hotel, mas não comemos lá. O café da manhã é bem servido, recomendo.

Dia 04

Mais uma cidade! Agora, vamos para Lübeck! A viagem entre Schwerin e Lübeck durou cerca de duas horas, também de trem. Lübeck Foi a primeira cidade do norte da Europa a ser listada como Património Mundial pela UNESCO em 1987 e é considerada uma das cidades alemãs mais românticas. Isso por causa das ruelas estreitas, das várias e velhas casas de tijolo vermelho e das belíssimas igrejas com as torres bem pontiagudas. Eu gostei bastante da cidade, é bem isso mesmo!

Muita gente faz Lübeck apenas como um bate e volta a partir de Hamburgo, já que a cidade fica apenas a 80 km de lá. Eu fiquei duas noites lá e acho que foi um tempo ótimo. Deu pra aproveitar bem a cidade e ela é fofa o suficiente pra te ocupar por dois dias.

O bacana de Lübeck é se perder pelas ruas charmosas e curtir o clima medieval da cidade. É cada cantinho mais lindo que o outro! Nesse primeiro dia, nos dedicamos a passear pela cidade e conhecer o Portão de Holstentor, o cartão postal mais famoso da cidade. Ele  foi construído em 1464 e fazia parte da muralha de proteção que cercava a cidade, como em várias outras cidades medievais. Eu falo que esse portão está milagrosamente em pé.. rsrs porque olhando de perto, dá pra ver vários ângulos de inclinação nesse portão! Rsrs

Portão de Holstentor

Dia 05

Dia de conhecer as Igrejas da cidade! Aliás, Lübeck é conhecida também por a cidade das sete torres! São sete torres super altas, pontiagudas e sempre verdes. Estão espalhadas pela cidade em 5 igrejas, todas em estilo gótico. Elas representam bem a cidade de Lübeck e pra todos os lados (lembrancinhas, chaveiros, doces) dá pra ver a “silhueta” das torres estampadas. São de fato muito lindas e diferentes, dando um toque especial na cidade.

Vamos à contagem das torres, que também serve como uma listinha de quais Igrejas visitar:

Marienkirche: essa vale por duas, rsrs, já que são duas torres! Foi a igreja que eu achei mais bonita e interessante por dentro (vou fazer um post sobre uma “estória” bem legal dessa Igreja! Depois marco aqui!)

Marienkirche

Dom zu Lübeck: também com duas torres.

Dom zu Lübeck

Com uma torre apenas, temos a Aegidien Kirche, a St. Jakobi Kirche  e Petrikirche (nessa última dá pra subir e ter uma vista maravilhosa da cidade e das outras seis torres rsrs).

Vista do alto da Petrikirche

Uma coisa bem bacana de se fazer pelas cidades na Europa, e isso vale para muitas cidades, é fazer um Free Walking Tour. Pra quem não sabe, “Free Walking Tour” é uma maneira ótima de se conhecer uma cidade. Pesquise no Google: Free Walking Tour + o nome da cidade. É um tour guiado que no final você escolhe quanto quer pagar (se quiser pagar) de acordo com o que você achou do tour. Nesse passeio pelo Norte, fizemos em Lübeck e em Hamburgo também. Em Schwerin, infelizmente não tinha nenhum disponível.

Onde se hospedar em Lübeck?

Eu recomendo se hospedar no centro histórico mesmo. Apesar de ter um preço mais salgado, vale a pena porque todas as atrações de Lübeck estão localizadas no centro histórico e, se hospedando por ali, você vai poder fazer tudo a pé. Não vou colocar aqui o hotel que nós ficamos pois, apesar da excelente localização, o lugar não nos agradou. E eu preso muito por sempre indicar lugares e atrações que eu gostei e realmente recomendo.


Chegamos ao final de mais um mini-roteiro…. no dia número 06, pegamos o trem de Lübeck até Hamburgo, onde fizemos apenas uma conexão e já voltamos para Colônia. Lembre-se sempre de consultar o site ou o aplicativo da empresa alemã Deutsche Bahn. O Google Maps ainda não tem todas as informações de transporte possíveis por meio de trens e talvez você perca a melhor oferta ou a melhor opção apenas por falta de pesquisar!

Bom, espero que tenha gostado e se tiver qualquer dúvida, fique a vontade para perguntar! Ficarei feliz se eu puder ajudar!

E se você quer um roteiro personalizado, cheio de dicas e lugares interessantes para conhecer na Alemanha, me manda um e-mail e peça seu orçamento. Também posso te ajudar na escolha e reserva do seu Hotel, na escolha do meio de transporte e na compra dos tickets também (transporte, museus, atrações…). Me conta onde você quer ir que eu monto a sua programação. Vamos conversar!

Um grande abraço,

Gi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.