Quando o assunto é grana!

Quando o assunto é grana

Quanto custa uma viagem para a Europa por dia? Qual moeda levar? Dinheiro vivo ou cartão de crédito: qual a melhor opção? Faço o câmbio no Brasil ou no exterior?


Essa são as principais dúvidas do viajante quando o assunto é grana. E é um dos assuntos principais mesmo pois, faz parte não só do planejamento da viagem, mas também em como não perder dinheiro em conversões e como ter certeza de que não vai passar nenhuma dificuldade – financeiramente falando – durante a viagem. Mas, enfim… vou tentar responder à essas perguntas aqui, levando em consideração a minha experiência pessoal e vivência em viagens anteriores.

Qual moeda levar?

Hoje em dia infelizmente está sendo melhor levar em dinheiro vivo mesmo. Pelo menos para viagens dentro da Europa. Quando você olha na internet por exemplo a cotação do Euro turismo, você tem que acrescentar pelo menos 1,10% de imposto para comprar os Euros ou 6,38% se for comprar no cartão de crédito. O valor final da moeda ainda vai depender da cotação que a casa de câmbio está oferecendo, que acrescenta também valores como comissão. Portanto, tem que pesquisar bastante onde fazer o câmbio.

Existem os cartões pré-pagos que são ótimos também. Você coloca por exemplo 1000 euros nele e no seu destino ele vai funcionar como um cartão de débito. Porém, hoje em dia esse cartão também tem 6,38% de imposto. Ou seja, fica a mesma coisa que usar cartão de crédito.

Para a Europa – antes de me mudar para a Alemanha – para as minhas viagens, eu sempre trouxe o máximo de dinheiro vivo que eu pretendia gastar (já convertidos em Euros). Assim, não corria o risco de usar muito o cartão de crédito e pagar uma fortuna de imposto depois. Ao chegar no destino, eu normalmente retiro a quantia que vou gastar no dia e deixo o restante da grana guardada no Hotel. Se tiver cofre no quarto, é no cofre. Se não, deixo na minha mala mesmo, que tranco com cadeado. Eu considero andar com dinheiro pelas ruas das cidades na Europa relativamente seguro. Claro que nunca é bom dar mole, mas até hoje eu nunca tive problemas. Mas, não tem por que andar com o todo o dinheiro o tempo todo, não é mesmo?

Lembrete para os viajantes de bolso cheio:

O limite para sair do Brasil com dinheiro em espécie (seja reais, euros, dólares ou qualquer outra moeda) sem declarar para a Receita Federal é de 10 mil reais por pessoa (consulte o site do Itamaraty, para eventuais dúvidas).

Fazer o câmbio no Brasil ou no exterior?

Eu recomendo sem sombra de dúvidas a fazer o câmbio no Brasil. Primeiro porque nossa moeda, o Real, não é muito bem aceito por aqui (são poucos lugares que vão aceitar trocar reais por Euro ou Libra) e segundo porque ao chegar no destino, você não terá preocupações com isso. Imagina desembarcar no seu destino tão esperado e agora ter que ficar horas procurando uma casa de câmbio confiável e que tenha uma boa cotação? Não mesmo, né? Procure com antecedência uma casa de câmbio ou algum banco que faça a conversão na cidade onde você mora.

Uma outra questão é saber quando começar a fazer o câmbio. Eu recomendo a começar a “troca de moedas” o quanto antes, se possível assim que já estiver com a viagem confirmada. O câmbio normalmente sofre muita variação e ninguém consegue prever se vai aumentar ou vai diminuir. Então, o melhor mesmo é conseguir uma cotação média, fazendo uma ou duas trocas por mês até o dia da viagem. Além de conseguir um bom câmbio no final, é como se você estivesse antecipando seus gastos, trocando um pouquinho todo mês.

Já me perguntaram também se é vantajoso trazer dólares para uma viagem para a Europa e trocar novamente no destino. Minha resposta é categórica: não! Ao fazer a “troca de moedas”, são sempre cobradas taxas bem altas, além do valor da conversão (câmbio turismo) ser sempre menor que o valor comercial da moeda. Ou seja, você perde duas vezes! Então, se você estiver viajando para um país que está na Zona do Euro: traga Euros. Para países que usam a Libra: traga Libras. Para outras moedas, aí sim: se não conseguir comprar no Brasil, converta seu dinheiro para dólares no Brasil e depois faça a conversão no seu destino. Não tem outro remédio.

Quanto custa uma viagem para a Europa por dia?

Quando o assunto é grana

Essa talvez é a pergunta mais difícil e enigmática de todas. Essa conta é praticamente impossível fazer para outra pessoa pois, cada um tem suas necessidades, gostos e prioridades. Mas, como eu sei que muita gente tem essa mesma dúvida, o que eu posso fazer é contar a minha experiencia, totalmente baseada em minha vivência na Alemanha (mas lembrando que tem países mais baratos e outros mais caros na Europa. Eu considero os valores na Alemanha como medianos… não é o mais caro, mas também não é o mais barato). Para chegar em um valor, vou contar um pouquinho quais são as minhas prioridades e o que eu faço normalmente nas minhas viagens:

Hotel:

Deve ser próximo a algum meio de transporte público, limpo, simples mas com um conforto básico e banheiro privativo. Media de preços que pago em hotéis na Alemanha: entre 80 a 110 euros (uma diária com café da manhã incluso, para um casal). Quando passa desse valor, começo a procurar localizações mais afastadas. (veja dicas de como escolher seu hotel, nesse post aqui.)

Transporte (interno, dentro da cidade):

Sempre dou preferência sempre para andar a pé mesmo. Mas, nem sempre é possível e sempre tem aquela atração que fica meio afastada do centro da cidade. Um ticket de metrô custa entre 2 a 3 euros por pessoa por viagem. Mas sempre tem os Tickets que valem para um dia inteiro e também os que são válidos para duas ou mais pessoas. Uma boa média entre transporte interno dentro de uma cidade, é 5 euros por dia por pessoa (considerando que muitos passeios serão feitos a pé).

Para o transporte entre cidades, vai de novo depender bastante de quais cidades você vai visitar, se vai usar ônibus, avião ou trem. Só para dar uma referência, dá para viajar de ônibus pelas empresas mais econômicas (Flixbus, por exemplo) pagando bem pouco por passagem (entre 8 a 20 euros uma viagem de longa distância). Uma viagem de trem entre Munique e Colônia, por exemplo, você  paga mais ou menos 60 euros, entre Frankfurt e Colônia, 30 euros.

Passeios

A entrada de museus e atrações varia muito. Vai depender muito do que você quer visitar e a quantidade de lugares. Mas tem também muitas atrações cujo acesso é gratuito, como é o caso de Igrejas, praças e parques. Na média, a visita em Museu ou uma atração turística vai custar entre 10 e 15 euros por pessoa. Mas vai ter dias que você não vai entrar em nenhum e outros que você vai querer entrar em mais caro ou em duas atrações pagas diferentes. Além disso, ainda tem os passeios como “Free Walking Tour” que no final você acaba gastando com gorjetas. Então, uma boa média para essa parte da conta, é considerar 30 euros por dia, por pessoa.

Alimentação:

Certifique-se de que seu hotel já tem o café da manhã incluso na diária. Apesar de achar os preços normalmente praticados pelos hotéis muito caros, eu acho muito confortável não ter que me preocupar em encontrar um lugar para café logo de manhã. Então, normalmente começo o dia já pago (hehe). A referência de preços que eu disse para a hospedagem, já está inclusa o café da manhã.

Para o almoço, sempre escolho algo mais leve pro bolso…. hehe que seria um fast food ou alguma coisa pequena que compro na padaria (exemplo: um sanduíche, um crepe, uma fatia de pizza… ). Esse pequeno almoço (lanche) vai custar mais ou menos entre 5 a 7 euros (por pessoa). No final da tarde, aí sim, faço questão de sentar em algum lugar bem bacana, tomar uma cerveja ou um vinho e comer um prato saboroso, normalmente da culinária local. Essa seria a maior e principal refeição do dia e custa entre 20 e 30 euros (por pessoa, incluso bebidas, sem sobremesa).

Uma outra coisa que sempre faço, é ter algo para “beliscar” sempre à mão: uma barrinha de cereal, um pacotinho de biscoitos ou castanhas. Isso você pode comprar em algum supermercado e não vai gastar mais de 5 euros por dia, por pessoa). Bom, assunto comida é mesmo complicado… eu normalmente faço como descrevi, mas sempre tem alguns extras, por exemplo, aquele sorvete, ou um café no meio da tarde… separe então mais 10 euros por dia por pessoa para esses “imprevistos”. Total: entre 40 e 55 euros por dia, por pessoa.

Lembrancinhas:

Eu não sou a melhor pessoa para falar desse assunto porque normalmente não compro quase nada como lembranças das minhas viagens… só faço questão mesmo do meu imã de geladeira… hehe que custa em média entre 3 a 5 euros cada. Mas esse não é um custo por dia e sim um custo por destino. Meu conselho então, é incluir um valor fixo no total previsto de gastos. Por exemplo, você estima que sua viagem vai custar 2 mil euros. Coloque 200 euros a mais (10%) para o item lembrancinhas. Assim, você corre menos risco de ultrapassar o orçamento e de sair comprando presentes para todo mundo (não façam isso! hehe)

Bom, agora segue um resumo de custos por dia, por pessoa, considerando minha descrição acima e:

  • Hotel é para um casal, mas os valores no resumo abaixo estão por pessoa (se você vai viajar sozinho (a), dobre o valor do hotel, que normalmente oferece valores iguais para um casal ou para um viajante individual).
  • Os valores de transporte de deslocamento entre cidades não estão incluídos nessa conta de referência.
  • Café da manhã incluso na diária do Hotel e alimentação em geral como minha referência descrita.

Lembrando também novamente, que essa conta de referência é baseada em minha experiência pessoal em viagens dentro da Alemanha:

  • Hotel: de 40 a 55 euros;
  • Transporte (interno): 5 euros:
  • Passeios: 30 euros
  • Alimentação: entre 40 e 55 euros.

Temos um número!

Total (média) 130 euros por dia, por pessoa (hotel duplo + transporte interno + passeios + alimentação – sem considerar gastos com lembrancinhas e sem deslocamento entre as cidades)

Se você é um(a) viajante individual, os valores de referência para hotel devem ser praticamente dobrados, como eu disse antes. Então, para um viajante solo, uma boa média de gastos por dia seria entre 170 a 190 euros. (hotel + transporte interno + passeios + alimentação – sem considerar gastos com lembrancinhas e sem deslocamento entre as cidades)


Ufa! Acho que consegui criar pelo menos uma referência. Acredito que 130 euros por dia e por pessoa, é uma boa referência para começar o seu planejamento. Não esquece de ler minhas considerações do que foi incluído e o que não foi incluído nessa referência de valor.

É lógico que existem pessoas que gastam mais e outras que gastam menos. Como eu disse no início do Post, cada um tem suas necessidades, gostos e prioridades. Decidi fazer esse Post porque essa é uma das perguntas que mais recebo e me senti na obrigação de tentar a ajudar a responder. Então contei a minha experiência pessoal. Mas, que fique claro, é só um valor de referência pra viagens na Alemanha (país que considero de custo mediano comparado a outros destinos da Europa). Os valores foram totalmente baseados no meu planejamento pessoal de viagens anteriores e da forma como me organizo e gosto de aproveitar os destinos. Pode ser que você gaste mais ou menos. É uma questão muito pessoal. Mas espero que eu tenha ajudado de alguma forma.

Deixe o seu comentário, dúvidas, críticas, elogios e sugestões! Ficarei muito feliz em responder!

Um grande abraço.

Gi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.